Data de Fundação: 11/11/1966

Diretor Presidente: ANDRIECIO FERREIRA DOS SANTOS

FUNDAÇÃO GRUPO
George Karl Brodka, mais conhecido como Frei Jerônimo, nasceu em 31 de dezembro de 1935, na cidade de Nelsse, na Alemanha, hoje pertencente à Polônia. Ordenou-se sacerdote pela Ordem dos Carmelitas em março  de 1963 e em julho do mesmo ano chegou ao Brasil, indo se estabelecer na cidade de Paranavaí, estado do Paraná. Quando aqui chegou foi enviado para o seminário de Graciosa com a finalidade de aprender a Língua Portuguesa com os seminaristas.
Em novembro de 1966, frei Jerônimo recebeu um convite vindo de frei Matias para formar um Grupo Escoteiro na Paróquia de São Sebastião. Frei Jerônimo ingressou no Escotismo em 1954, num Grupo chamado Guy de Larigaudie, quando ainda morava na Alemanha. O convite feito por frei Matias foi aceito e assim teve início a história do Grupo Escoteiro de  Paranaval que recebeu o nome de Guy de Larigaudie. A escolha deste nome foi motivada pelo fato de que o Grupo Escoteiro que frei Jerônimo participou na Alemanha tinha esta denominação. Teve início com oito coroinhas de 11 e 12 anos. Frei Jerônimo os preparou durante 3 meses para que fizessem a Promessa Escoteira. Com a promessa feita podiam, com a ajuda dos pais, convidar uma nova criança para apresentá-la ao Grupo. Assim a cada três meses oito novas crianças faziam suas promessas e traziam oito novas crianças para o Grupo.
Apesar de ter seu funcionamento no pátio do antigo seminário de madeira da Paróquia de São Sebastião e ser presidido por um frei carmelita, o Grupo tinha sua autonomia preservada. Era independente da Ordem Carmelitana. Frei Matias deixou isto claro para o frei Jerônimo desde o início. Era uma forma de nem a Paróquia, nem o Grupo se envolverem nos trabalhos específicos de cada um. As crianças que se interessavam em participar não precisavam necessariamente serem católicas. O único questionamento feito era se a religião que professavam tinha como livro sagrado a Bíblia, visto que para algumas especialidades era necessário o uso da mesma.
Frei Jerônimo participou de cursos de formação em Curitiba e São Paulo. No curso realizado em São Paulo, com a duração de 15 dias, teve como uma das tarefas finais traçar metas a serem atingidas pelo Grupo. Assim que regressou começou a colocar em prática algumas ações que culminaram com a organização da Alcateia de Lobinhos e da Tropa de Escoteiros.
O Grupo em pouco tempo ficou completo em sua formação com 4 Matilhas (6 lobinhos cada), totalizando 24. E 4 Patrulhas na Tropa Escoteira (8 elementos cada), totalizando 32 escoteiros. À medida que foi sendo ampliado e organizado, voluntários foram se disponibilizando para o trabalho desenvolvido com lobinhos e com escoteiros. Os pais também colaboravam nos trabalhos e nas decisões a serem tomadas.
A partir de 1972, as reuniões do Grupo passaram a ser realizadas numa sede nova, construída no terreno pertencente à Ordem Carmelitana, localizado na lateral do Ginásio Noroestão. A madeira para a construção da sede foi doada pela Fazenda São Joaquim, através da pessoa do sr. Marcílio. Este local até hoje é conhecido como o Campo dos Escoteiros, mesmo sendo o terreno dos Carmelitas. O Grupo Escoteiro ali permaneceu por quase 26 anos.
No ano de 1988 foi feita a doação de um terreno, localizado na Rua Cândido Berthier Fortes, n° 2000, em nome do Grupo Escoteiro, pelo então prefeito de Paranaval, o Sr. Benedito Pinto Dias. A construção da nova sede foi iniciada, mas somente no ano de 1998 é que houve a transferência do Grupo para a nova sede, onde permanece até os dias de hoje.
Frei Jerônimo foi transferido para Dourados/MS em fevereiro de 1990 e lá ficou até o ano de 2003. Fundou o Grupo Escoteiro São Jorge, o sétimo no Estado de Mato Grosso do Sul. Com a ida de frei Jerônimo para Dourados foi eleita uma equipe de pais que assumiu a responsabilidade na condução e na organização dos trabalhos desenvolvidos pelo Grupo Escoteiro Guy de Larigaudie. Temporariamente os cargos daqueles que presidiam o Grupo eram renovados. Assim esta caminhada de meio século foi sendo vencida, ora com mais, ora com menos dificuldades, mas nunca foi abandonada a missão e a tradição deste nobre e valente Grupo de Escoteiros. Durante muitos anos o ingresso no Grupo era específico para meninos. Somente a partir do ano de 2001 que o Grupo passou a ser misto, com a admissão de meninos e meninas.
Em 2003, após 40 anos no Brasil frei Jerônimo resolveu voltar à terra natal, Alemanha. Lá trabalhou como vigário paroquial na Diocese Trier, na cidade de Springiersbach. Antes de partir foi homenageado durante uma sessão solene na Câmara dos Vereadores em Dourados no dia 26/02/2003, recebendo o “Título de Cidadão Douradense”.
Em 2005 recebeu a proposta de voltar ao Brasil para morar em Dourados, mas o retorno ocorreu no início de 2006 para Paranaval, fixando residência em Graciosa, onde está até hoje.
Durante sua trajetória recebeu muitas honrarias, entre elas a Medalha de Bons Serviços, em 1999; Medalha de Gratidão, em 2003, pela União dos Escoteiros do Brasil. Medalha de Mérito do Trabalho e Reconhecimento Administrativo “Dr. José Vaz de Carvalho”, em 2006 pela Câmara Municipal de Paranavaí. Também pela Câmara Municipal de Paranavaí, juntamente com o prefeito Rogério Lorenzetti, recebeu no dia 18/03/2013, o Titulo de “Cidadão Honorário de Paranavaí”.
Outra premiação recebida pelo frei foi a Medalha Velho Lobo. Esta medalha é concedida ao associado da UEB que completar 50 anos comprovados de atividade escoteira. Este reconhecimento foi outorgado apenas a duas pessoas no Paraná, uma mora em Londrina e a outra em Paranavaí, que é o frei Jerônimo.
Em 11 de novembro de 2016, comemoramos os 50 anos de criação do Grupo Escoteiro Guy de Larigaudie. Foram 50 anos de dedicação e serviço à comunidade paranavaiense. Foram centenas e centenas de crianças e jovens que por aqui passaram deixando suas marcas e levando consigo sementes lançadas no coração e na vida de cada um. Muitos jovens e adultos se dedicaram voluntariamente como chefes frente as alcateias, tropas escoteiras, seniores, ou mesmo no corpo administrativo do grupo, enfrentando os desafios próprios de cada novo tempo.
Comemorar 50 anos de existência é celebrar a vitória de muito trabalho, perseverança, amor e dedicação, qualidades que podemos garantir, sempre existiram. “Melhor Possível” e “Sempre Alerta” são lemas que estiveram e estão presentes na linha do tempo do Grupo Escoteiro Guy de Larigaudie de Paranavaí.

O BRASÃO
   O Brasão tem a presença marcante da Flor de Lis, principal símbolo do Escotismo Mundial. Foi Robert Baden-Powell quem fez a escolha deste símbolo para representar o movimento que ele próprio criara. A Flor de Lis, para ele, representaria a direção certa e sempre para cima que o Escotismo deveria seguir, não se desviando nem à esquerda, nem à direita.
Centralizado e sobreposto a Flor de Lis temos a presença do Brasão que representa o município de Paranavaí. Este Brasão é também encontrado no centro da bandeira de nossa cidade. A inscrição em latim presente na faixa vermelha do Brasão de Paranavaí foi substituída pelo nome da cidade: Paranavaí.
Abaixo da Flor de Lis, na faixa amarela temos a seguinte inscrição: “Sempre Alerta”, que é o lema dos Escoteiros. Abaixo o Estado (PR) e o número que representa o Grupo dos Escoteiros no estado do Paraná (37). Entre meio os dois, temos a presença do Nó Escoteiro.
Os autores responsáveis pela criação deste Brasão foram: frei Ulrico, professor Pedro Real e frei Jerônimo.

O LENÇO
   O lenço do Grupo Escoteiro Guy de Larigaudie tem seu formato triangular nas cores amarelo e branco. Estas duas cores foram escolhidas por estarem presentes na Bandeira do Vaticano.
O significado da presença destas cores na Bandeira do Vaticano tem a seguinte explicação: em 1800, segundo o Papa Pio VII, Napoleão Bonaparte queria conquistar o Estado Pontificio. No dia 13 de março de 1808, Pio VII protestou energicamente.
Em meio as tensões de guerra, o papa ordenou aos soldados que permanecessem fiéis ao Vaticano e usassem as cores amarelo e branco para distinguirem-se dos soldados franceses. Desde aquele momento adotaram estas cores e passaram a admirá-las. Foi dentro deste contexto tenso, que nasceu a escolha pela presença das cores amarelo e branco na bandeira do Vaticano.
Durante muitos anos o lenço do Grupo Escoteiro Guy de Larigaudie foi amarelo e branco, simplesmente. Com o passar do tempo, os grupos escoteiros existentes, em sua grande maioria, foram alterando o visual de seus lenços, incorporando neles um ícone representativo do Grupo pertencente.
Foi assim que um novo modelo de lenço do Grupo foi criado.
Na ponta central do triângulo, encontramos:
O Brasão, tendo acima e abaixo do Brasão o nome do Grupo.
O círculo de corda e o nó direito que não desata, simbolizando a força da unidade e a Irmandade do Movimento Escoteiro Mundial.

O PATRONO DO GRUPO
Guilherme Boulle de Larigaudie, conhecido por Guy de Larigaudie
   Guy de Larigaudie nasceu em 18 de janeiro de 1908, em Paris. Devido a guerra de 1914, mudou-se para a Província até 1920. As longas horas de imobilidade no Colégio são lhe muito pesadas. Ele não foi feito para uma vida sedentária. O tempo de seus estudos também foi um tempo de doenças.
Um feliz derivativo apareceu, o ESCOTISMO. Depressa se tornou uma razão de viver. O Escotismo e sua mocidade ardente fez com que desabrochasse nele o que de mais divino havia em sua alma e em seu corpo. Ele prestou sua promessa em 30 de março de 1924.
Guy de Larigaudie ingressou no seminário de padres, mas a clausura do seminário tornou-se insuportável, “há animais que, enjaulados, morrem: sou um deles, irremediavelmente”. Desistiu em maio de 1928, sem nunca ter usado a batina.
Em outubro de 1930 foi chamado para prestar serviço militar, num regime de cavalaria.
Em 1932 cursou Direito no Instituto Católico de Paris. Voltou para o Escotismo e tornou-se Chefe de Tropa. Compenetra-se da riqueza da Lei Escoteira e quer fazer dela o código de sua vida, uma vida ativa, leal, nobre, hábil e cavalheiresca.
Foi nesta época que se organizou no escotismo francês, além de lobinhos  e escoteiros, o terceiro ramo, o dos pioneiros, tomando-se assim um deles. Em outubro de 1934 participou da delegação dos escoteiros franceses ao Jamboree da Austrália, passando por Suez e a Índia, voltando pelas Antilhas e Panamá.
Guy de Larigaudie voltou ao regimento de cavalaria e morreu aos 32 anos no campo de honra em 11 de maio de 1940. Dele podemos dizer que foi escoteiro, escritor, explorador aventureiro e jornalista. O escotismo e o contato com a natureza fez dele um homem novo.
Guy de Larigaudie foi um exemplo de católico e de escoteiro.

Escoteiros do Brasil - Educação e lazer para crianças e jovens